| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Finally, you can manage your Google Docs, uploads, and email attachments (plus Dropbox and Slack files) in one convenient place. Claim a free account, and in less than 2 minutes, Dokkio (from the makers of PBworks) can automatically organize your content for you.

View
 

SOPA DOS EXPEDICIONÁRIOS

Page history last edited by Nara 5 years, 8 months ago

 

 

VOLTAR

 

 

 

 

SOPA DOS EXPEDICIONÁRIOS

 

 

 

A primeira edição da Sopa dos Expedicionários, em que se resgatou a receita do Frei Orlando

(gentilmente compartilhada com a ANVFEB pelo pesquisador Alexandre Gardolinski,

que fez uma recriação histórica da receita original), se homenageou o Tenente da Marinha, Arthur Scheibel

(morto no combate do Dia D - Invasão da Normandia pelos Aliados), foi um verdadeiro sucesso!

 

Tivemos um bom público, que apreciou o espaço, a sopa, o vinho, a música, as conversas e, é claro,

aproveitou para revisitar o Museu da Paz, que estava de portas abertas.

 

Foram especialmente gratificantes alguns momentos: a presença dos Veteranos da FEB,

senhor Walter Carlos Hertel e o senhor João Rodolfo Hauck, com suas famílias;

os relatos, lidos pelo presidente da Fundação Cultural de jaraguá do Sul, contando aos presentes quem

foi Frei Orlando e a razão dele ter feito a sopa para os italianos durante a segunda grande guerra;

o que aconteceu no dia 06 de Junho de 1944 - o famoso Dia D;

e apresentando o único brasileiro que se tem conhecimento a ter falecido nesse dia de conflito,

o senhor Arthur Scheibel, a quem não o conhecia...

 

Também importante foram as falas do senhor Alexandre Gardolinski,

que veio de Curitiba especialmente para prestigiar o evento;

do Prefeito de Jaraguá do Sul, senhor Dieter Jansen, demonstrando novamente seu apoio e respeito

pela atuação da FEB na Itália e pelos Veteranos da região;

do Chefe dos Museus Municipais, senhor Ademir Pfiffer, que destacou a importância de eventos dessa natureza

  para o Museu da Paz, pois aproximam a comunidade desse espaço museológico; 

e, por fim, do senhor Ivo Kretzer, secretário da ANVFEB - regional de Jaraguá do Sul,

que além de fazer vários agradecimentos, ainda reforçou a importância de eventos como esse

para divulgar a atuação da FEB na Itália e rememorar a bravura dos brasileiros

que lutaram pela liberdade e democracia do outro lado do Atlântico.

 

Ao final da noite, quando  a música silenciou e o Museu voltou à costumeira tranquilidade de um sábado,

com suas próprias memórias e ecos do passado,

a diretoria do ANVFEB contabilizou os gastos e as vendas e concluiu que, também no aspecto econômico,

o evento foi um sucesso: obteve-se lucro para a Associação!

Veja os principais números:

Total de Gastos (alimentos, utensílios, bebidas, serviços): R$ 1.217,34

Total de entradas (vendas de cartões de sopa e bebidas): R$ 2.662,00

Total de lucro para a ANVFEB: R$ 1.444,66

 

 

 

VEJA AS FOTOS DA NOITE DA SOPA DOS EXPEDICIONÁRIOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os expedicionários João Rodolfo Hauck e Walter Carlos Hertel,

ladeados por convidados e autoridades.

 

A plataforma de embarque reviveu com a Sopa dos Expedicionários:

mesas ocuparam seu espaço e os presentes aprovaram o espaço.

     

 

 

 

E ANTES DA FESTA COMEÇAR, A HORA FOI DE TRABALHO!

 

MUITO TRABALHO!!!

 

A turma começou cedo no batente, para deixar a sopa no ponto certo:

membros da diretoria da ANVFEB e funcionárias do Museu da Paz trabalhando... 

 

 

 

 

 

 

 

Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira (ANVFEB),

com o apoio do Museu da Paz, da Fundação Cultural e Prefeitura de Jaraguá do Sul,

está promovendo a 1ª Noite da Sopa dos Expedicionários,

no dia 06 de Junho de 2015, com início às 17 horas, aqui no Museu da Paz/Fundação Cultural,

utilizando a receita que o Frei Orlando - Patrono do SAREx (Serviço de Auxílio Religioso do Exército),

Capelão voluntário durante a 2ª Guerra Mundial -

preparava lá na Itália, usando alimentos que arrecadava principalmente entre os soldados febianos,

e a distribuía entre a população italiana, que passava fome.

 

O evento é uma parceria com Alexandre Gardolinski, palestrante, entusiasta e

pesquisador da 2ª Guerra Mundial, de Curitiba.

Alexandre fez uma vasta pesquisa para descobrir como o Frei Orlando preparava a sopa para os italianos

e, após muitas entrevistas, ligações e estudos, chegou à receita final que, pode-se dizer,

é uma recriação histórica da saborosa sopa.

E, repetindo um dos traços do querido frei, compartilhou generosamente

o resultado de seus estudos - ou seja, a receita!

 

Os objetivos previstos com esse evento:

* rememorar a tradição criada por Frei Orlando com sua sopa;

* divulgar e destacar os 71 anos do Dia D - invasão da Normandia pelas Forças Aliadas em 06/06/44,

ação na qual morreu em combate o tenente Arthur Scheibel, da Marinha Norte-americana,

cuja família ainda hoje reside em Corupá;

* divulgar as ações da ANVFEB e do Museu da Paz;

* além, é claro, de promover a confraternização entre as pessoas,

regada por uma deliciosa sopa e um bom vinho!

 

 

   

QUER SABER MAIS A RESPEITO DO QUE ESTÁ POR TRÁS DESSE EVENTO?

LEIA AS HISTÓRIAS DE ARTHUR SCHEIBELFREI ORLANDO E DO FAMOSO "DIA D

 

 

 

O EVENTO É NOTÍCIA NA FUNDAÇÃO CULTURAL CATARINENSE:

http://www.fcc.sc.gov.br/patrimoniocultural/?mod=pagina&id=17570

 

 

 

 

 

SOPA DO FREI ORLANDO

   

Na noite da última 4ª feira, dia 15 de abril,

os funcionários do Museu da Paz e alguns integrantes

da Associação Nacional dos Veteranos da FEB (regional de Jaraguá do Sul)

reviveram uma tradição dos soldados febianos

na 2ª Guerra Mundial: compartilhar a Sopa do Frei Orlando.

 

Frei Orlando, Capitão Capelão da FEB e Patrono do

Serviço de Auxílio Religioso do Exército (SAREx),

já tinha o hábito de produzir o que ele denominava de Sopa dos Pobres,

na cidade de São João del-Rei (MG),

com doações angariadas entre o povo e o 11º Regimento de Infantaria.

 

Ao chegar na Itália, percebendo que o povo padecia com a fome,

retomou seu hábito e novamente contou com a

solidariedade dos soldados brasileiros,

que prontamente se dispuseram a dividir suas refeições com o frei,

para que este produzisse a sua sopa e a distribuísse entre os famintos italianos.

 

Com o intuito de reavivar essa tradição,

compartilhar a sopa e a boa conversa,

tendo em mãos a receita da famosa sopa do Frei Orlando,

o grupo reuniu-se na casa do senhor Belisário Bertoldi e de sua esposa, dona Bete.

Os anfitriões ofereceram uma primeira experiência de degustação do prato,

acompanhada de um bom vinho.

O resultado?

Os presentes foram unânimes ao afirmar que a sopa

é uma delícia e a prova foi um completo sucesso!

 

 

 

   
   
   

 

 

 

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.