| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Finally, you can manage your Google Docs, uploads, and email attachments (plus Dropbox and Slack files) in one convenient place. Claim a free account, and in less than 2 minutes, Dokkio (from the makers of PBworks) can automatically organize your content for you.

View
 

NOTÍCIAS

Page history last edited by Nara 2 months, 2 weeks ago

 

 

 

VOLTAR

 

08/05/2021

DIA DA VITÓRIA

HOMENAGEM AOS NOSSOS PRACINHAS

 

 

 

LEIA A REPORTAGEM

 

 

   
   

 

 

 

 

 

 

NOSSO BATALHÃO DE SUEZ É NOTÍCIA!!!

 

LEIA A REPORTAGEM DIVULGADA POR JORNAL LOCAL

 

 

 

 

 

NOTÍCIAS

 

Museus mantêm média de visitas no biênio

07/12/2018 - Publicado por: Pedro Bortoloti Jr - Categoria: Cultura - Tags: museu paz emílio silva estatística números média 

Relatório emitido pelo Museu da Paz aponta o registro para 5.440 visitantes em 2018, sem considerar o mês de dezembro. O número está muito próximo de 2017, quando foram coletadas 5.718 visitas, ano em que observou-se um crescimento de quase 65%, se comparado com 2016. O mês de maio de 2018 foi o de maior registro, num total de 1.170, dos quais, 664 estudantes, um estrangeiro e 505 visitantes. O total geral de visitas, desde a criação do espaço museológico, em 29/2/1988, até outubro deste ano, soma 41.723. “Um fato que se destaca em relação ao número de visitantes deste ano é a quantidade de estudantes que vieram ao museu. No ano de 2017, em torno de 48% dos visitantes eram estudantes. Neste ano, até o final de novembro, esse percentual já está em 62% do total de visitações. E isso, sob o ponto de vista das ações educativas do museu, é um fator muito significativo. Há uma atuação direta na formação das novas gerações, compartilhando conhecimentos relacionados à participação do Brasil, do Estado e da região nas grandes guerras do século XX”, pondera a responsável pela ação educativa da instituição, Dionara Radünz Bard.

O trabalho deste ano aponta a realização de duas exposições temporárias, 44 palestras (no próprio museu e em escolas) e seis oficinas. Houve o envolvimento de 96 turmas de 50 escolas, totalizando quase 3,4 mil estudantes e centenas de professores. Instalado junto à Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, o Museu da Paz apresenta ao público a história da participação do Brasil na II Guerra Mundial, representado pela Força Expedicionária Brasileira (FEB). Criado pela lei municipal nº 5.438, em 10 de dezembro de 2009, conta com 406 peças originais da FEB em exposição. Outras 131 compõem a reserva técnica. Há, também, materiais da I Guerra Mundial. O espaço busca construir a trajetória de duas grandes guerras simbolizadas por lutas de interesse e poder, que desencadearam mudanças geográficas, sociais, culturais e econômicas em quase todo o mundo, com consequências que afetam as pessoas até hoje.


Mais informações sobre os museus e os números de visitação podem ser obtidas em http://www.jaraguadosul.sc.gov.br/museu-da-paz-estatistica . As monitorias, exclusivas para grupos, devem ser agendadas previamente pelos telefones 2106-8700. O horário de visitação do Museu da Paz, que fica na Avenida Getúlio Vargas, 405, é das 8h às 11h30 e das 13 às 17 horas, de segunda a sexta-feira; e das 8h30 às 12h30, aos sábados. 

 

 

 

 

 

Museu da Paz registra mais visitantes

10/07/2017 - Publicado por: Pedro Bortoloti Jr - Categoria: Cultura - Tags: museu paz números visitas registro 

O mês de junho foi o que apresentou o maior número de visitas no Museu da Paz em 2017. Foram 435 estudantes, 10 estrangeiros e 965 os visitantes, totalizando 1410 registros. O mês de maio, quando foram recebidas 1061 pessoas, das quais 597 estudantes e 464 visitantes, também foi bastante produtivo. A contabilidade de visitas dos primeiros seis meses deste ano – 2.843 -  representa 72,76% do total registrado em todo o ano passado – 3.907. “A estratégia de mobilizar professores, estudantes e comunidade reforça a importância do Museu da Paz para a cidade”, pondera a responsável pela ação educativa da instituição, Dionara Radunz Bard. As monitorias, exclusivas para grupos, devem ser agendadas previamente, por meio do telefone 2106-8700.

 

 



Instalado junto à Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, o Museu da Paz apresenta ao público a história da participação do Brasil na II Guerra Mundial, representado pela Força Expedicionária Brasileira (FEB). Criado pela lei municipal nº 5.438, em 10 de dezembro de 2009, conta com mais de 300 peças originais da FEB em exposição. Outras 100 compõem o acervo técnico. Há também materiais da I Guerra Mundial. O espaço busca construir a trajetória de duas grandes guerras simbolizadas por lutas de interesse e poder, que desencadearam mudanças geográficas, sociais, culturais e econômicas em quase todo o mundo, com consequências que afetam as pessoas até hoje.

Mais informações sobre o museu e os números de visitação podem ser obtidas aqui. As monitorias, exclusivas para grupos, devem ser agendadas previamente, pelo telefone 2106-8700. O horário de visitação do Museu da Paz, que fica na Avenida Getúlio Vargas, 405, é das 13 às 17 horas às segundas-feiras; das 7h30 às 11h30 e das 13 às 17 horas de terça a sexta-feira; e das 8h30 às 12h30 aos sábados. (Com informações de museudapaz.pbworks.com). 

 

 

 

 

 

O Museu da Paz faz parte do roteiro de estudos das escolas

municipais de Jaraguá do Sul.

A SEMED postou em seu site uma reportagem a respeito:

http://portal.jaraguadosul.com.br/viagens-de-estudos

 


 

 

        *_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*

 

 

 

Exposição "Memórias e Histórias da 2ª Guerra Mundial"

abre nesta quinta-feira

 

 

 

A Exposição "Memórias e Histórias da 2ª Guerra Mundial", realizada pelo Museu da Paz

em parceria com o Jaraguá do Sul Park Shopping,

no período de 02 de Junho a 21 de Junho de 2017, terminou e pode-se dizer que foi um sucesso!

Foram 1047 pessoas  que assinaram as listas de presença, um número considerável e que nos deixou muito felizes, pois assim a história da participação do Brasil na 2ª Gerra Mundial e, especialmente, a participação dos Pracinhas da região do Vale do Itapocu nessa guerra, se tornou um pouco mais conhecida!

Quanto mais pessoas souberem das tragédias vividas por milhões de pessoas com essas guerras,

quem sabe o ser humano possa refletir e compreender que o respeito e o diálogo sejam,

de fato, os melhores caminhos para resolver conflitos...

Outro resultado importante, e talvez o mais importante, foi o número de pessoas que vieram ao Museu da Paz após terem visto a exposição no Shopping. 

Ouvimos muito falas como: "Nossa, nem sabíamos que Jaraguá do Sul tinha um Museu de Guerra!", "Puxa, quando vimos a exposição e percebemos

que o Museu fica no outro lado da rua, decidimos visitar!"

Por isso, logo mais estaremos com nova exposição fora do Museu! Não percam!!

 

Algumas fotos de visitantes compartilhadas em redes sociais... 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Expedicionário Walter Carlos Hertel, presidente da ANVFEB 

 

local, visitando a Exposição...

 NPOR - Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva  do 62 BI de Joinville...
 Moradora de Jaraguá do Sul, Eliane M. Radünz, fez questão de registrar sua presença...

 

 

 -x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

 

30/05/2017 - Publicado por: Pedro Bortoloti Jr - Categoria: Cultura - Tags: II guerra conflito armado paz 

 

A Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer promove, a partir desta sexta-feira (02/06/2017), no Jaraguá do Sul Park Shopping, a Exposição “Memórias e Histórias da 2ª Guerra Mundial”, que ficará aberta para visitação por duas semanas. A proposta é divulgar o acervo do Museu da Paz e as histórias relacionadas à participação do Brasil no conflito, por meio da Força Expedicionária Brasileira (FEB). 

 

 

 

 

Serão 38 imagens fotográficas da FEB em solo italiano que retratam várias atividades e momentos. Haverá, também, a réplica da bomba atômica de Hiroshima e do navio de transporte de tropas da marinha Norte-Americana, o AP 116 – General Meigs, um capacete de soldado alemão alvejado por estilhaços de granada, além de uniforme de um Coronel da FEB. Além de algumas das peças que foram entregues aos familiares do Expedicionário Gumercindo da Silva, em cerimônia fúnebre promovida pelo Exército Brasileiro no ano de 1945, para homenagear os Expedicionários mortos em combate.

 

 

   
   

 

 

 

 

 

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

 

 

 

 

 

XV SEMANA NACIONAL DOS MUSEU - IBRAM

15 A 21 DE MAIO DE 2017

Museu e histórias controversas- dizer o indizível nos Museus”

 

Museus são espaços de estudo, pesquisa, educação, contemplação, lazer, diálogos e também de construção de histórias e narrativas museográficas. Ao articular memórias, essas instituições produzem discursos expográficos que articulam variadas linguagens e são apropriados pelo público de diferentes formas.

A maneira mais usual da memória ser transmitida é por narrativas, que são elaboradas por meio de um processo dialético entre esquecimento e lembrança, em que o “esquecer” tem um papel fundamental ao dar destaque àquilo que é “lembrado”. As narrativas, as histórias e também os discursos museológicos são construções sociais.

Narrar o passado é reinventá-lo, é colocá-lo sob o filtro interpretativo de seu narrador, seja ele um livro, um jornal, uma pessoa, uma exposição, uma instituição. As histórias são construídas nas relações de poder e possuem múltiplas identidades, sendo passíveis de controversas e de diferentes versões.

Partindo dessa premissa, os Museus convidam a uma reflexão sobre o tema “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”. Quais as histórias que nossos museus estão contando? Como eles colaboram para a construção ou para o questionamento das versões oficiais? Quais outras histórias precisam ser lembradas? Como trabalhar na expografia o confronto entre lembranças e esquecimentos?

 

 

SEMANA NACIONAL DOS MUSEUS

MUSEU DA PAZ-FEB

REGIME MILITAR BRASILEIRO – A VERDADE MULTIFACETADA

 

Integrando mais uma vez a SNM, nosso Museu da Paz optou por discutir um tema que é, seguramente, um dos mais controversos da nossa história: o regime militar brasileiro, que durou 21 anos, de 1964 a 1985. O balanço do período de governo militar como um todo parece ser apenas negativo - afinal, foram anos de repressão e violência, em que a vontade dos governados contou menos que a dos governantes. Mas o tempo já permite separar o joio do trigo, admitindo ações positivas em algumas frentes. É uma tarefa delicada. No campo minado das paixões que o período desperta, defensores e críticos até hoje trocam farpas. Mas se os governos militares lançaram os fundamentos da pós-graduação brasileira, de outro lado estimularam a criação indiscriminada de cursos privados. Se geraram condições para o crescimento, deixaram de distribuir renda. E assim, sucessivamente, podemos elencar inúmeros argumentos e informações a respeito desse período e que retratam o quanto é controverso esse tema e quantas posições, percepções e opiniões diferentes encontramos.

De fato, se fizermos uma pesquisa rápida na Internet, encontraremos incontáveis depoimentos em relação ao período do governo militar no Brasil, desde os defensores mais ferrenhos da “revolução” aos que consideram que nada houve de positivo nesses 21 anos de “golpe e ditadura”. Mas, ao fazermos um breve e justo balanço, devemos admitir que todos os lados e pontos de vista, todas essas visões tão díspares possuem suas verdades. Devemos lembrar que cada ponto de vista não passa da visão a partir de um ponto e que, portanto, a verdade não é uma só, ela é multifacetada!

Citamos a escritora nigeriana Chimamanda Ngozie Adichie que aponta as maléficas consequências de se ter “uma única fonte de influência, uma única forma de se contar histórias, de se considerar como verdadeira a primeira e única informação sobre algum aspecto”. Devemos evitar as “histórias únicas”, pois elas são perigosas e quase sempre originam as ideias preconceituosas e equivocadas em relação a fatos, pessoas, lugares ou acontecimentos. Que tenhamos todos a capacidade, o desejo, a sabedoria e a oportunidade de ampliar nossos olhares, nossas visões, nossos conceitos.

Para discutirmos essa temática, planejamos várias ações em parceria com a SEMED – Secretaria Municipal de Educação, com o Colégio Marista São Luís, além de professores de outras instituições educacionais da nossa cidade. Iniciando as ações na manhã do dia 15 de maio, teremos a abertura da Exposição de Artes Visuais “Regime Militar no Brasil: Golpe? Revolução? Ditadura?”, seguida por uma palestra com pesquisador do tema à noite, no auditório do Colégio Marista São Luís. No dia 17 de maio, no período vespertino, no auditório da Universidade Católica de Jaraguá do Sul, uma mesa-redonda para debater o tema “Regime Militar no Brasil – 1964 a 1985 – as múltiplas face da verdade”.

 

 

 

 

 

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

 

 

 

CONCURSO DE SELEÇÃO

PARA LOGOMARCA, ANO 2017,

DA AAMPAZ 

- ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO MUSEU DA PAZ -

 

 

 

CONTATO PARA MAIORES INFORMAÇÕES: (47)2106-8700 - com Nara Bard

ou pelo e-mail aampaz.mpz@gmail.com

 

 

A AAMPAZ está promovendo o Concurso para Seleção de Logomarca de sua associação, visando a escolha do melhor trabalho de criação de identidade visual, obedecidas as indicações e determinações previstas em seu Edital e Anexos, promovido de forma democrática, participativa e horizontalizada. 

 

A logomarca será utilizada em materiais de divulgação, impressos ou digitais, e em todas as atividades que se relacionem à AAMPAZ, provendo sua divulgação e disseminando as ações de preservação da memória patrimonial, material e imaterial, relacionadas às grandes guerras mundiais do século XX e que compõem o acervo museográfico do Museu da Paz, de Jaraguá do Sul.

 

Esse concurso está aberto ao público em geral, sem restrições. Porém, os interessados deverão ter no mínimo 16 anos completos até a data final de entrega dos trabalhos, ou seja, 22 de junho de 2017.

 

As inscrições devem ser entregues, em dois envelopes, identificados como "HABILITAÇÃO" e "PROJETO", na sede do Museu da Paz, localizado na Av. Getúlio Vargas, 405, centro, no período de 14 de março a 22 de junho de 2017, em seu horário de atendimento público, das 7h30 às 12h30 (ou no horário vigente no dia), de segunda a sexta-feira.

 

Todas as orientações técnicas, critérios de avaliação e documentos exigidos estão explícitos no EDITAL pertinente. 

A premiação para o trabalho vencedor será de um celular smartphone (última geração) e os trabalhos classificados do 1º ao 10º lugares receberão Certificados de Honra ao Mérito. 

 

A logomarca vencedora passará a ser propriedade exclusiva da AAMPAZ – Associação dos Amigos do Museu da Paz de Jaraguá do Sul. Será utilizada em todos os materiais de divulgação, materiais gráficos e ou promocionais, sites e outras situações que a mesma achar conveniente sem quaisquer restrições e pelo tempo que a AAMPAZ julgar apropriado.

 

 

 

 

 

 

-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-

 

NOSSA 2ª NOITE DA

SOPA DOS EXPEDICIONÁRIOS

ESTÁ CHEGANDO...

 


Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.